/Fundo Criatec 3 anuncia aporte de R$4,5 milhões em empresa especializada no desenvolvimento de soluções inteligentes de vídeo analítico

Fundo Criatec 3 anuncia aporte de R$4,5 milhões em empresa especializada no desenvolvimento de soluções inteligentes de vídeo analítico

Information – Education – Matchmaking

aporte

O Fundo Criatec 3, criado pelo BNDES e gerido pela INSEED Investimentos, anunciou hoje o aporte de R$4,5 milhões na SVA Tech – empresa especializada no desenvolvimento de soluções inteligentes de vídeo analítico para o mercado de segurança eletrônica. O Criatec 3 foi lançado no ano passado e tem R$220 milhões sob gestão. Com atuação nacional, ele conta com 13 cotistas entre bancos de desenvolvimento, agências de fomento estaduais, corporações e investidores privados de todo o país. Em Minas Gerais, os investidores do Fundo são o BDMG e a FAPEMIG.

A SVA Tech utiliza visão computacional, inteligência artificial e machine learning em seu sistema. Uma combinação de hardware e software analisa imagens ao vivo provenientes do circuito interno de TV do cliente e identifica potenciais eventos de risco, permitindo que o usuário aja de forma preventiva frente a potenciais perdas e danos. Nascida em 2015, a empresa possui entre os fundadores empreendedores que lideraram operações com faturamento superior a R$50 milhões no segmento de segurança eletrônica.

O aporte servirá para a evolução do roadmap tecnológico da solução, expansão comercial, marketing, ampliação da infraestrutura e capital de giro para suportar o crescimento acelerado da companhia. Para o Head de Investimentos da INSEED, Pedro Drummond a SVA Tech foi escolhida devido a seu diferencial tecnológico, oferta de valor e bom ritmo de crescimento do setor. “O mercado brasileiro de Segurança Eletrônica teve crescimento médio anual de 17,5% nos últimos anos, com expectativa de atingir R$ 3,7 bilhões em 2017. Um mercado forte e grande comprador de inovação. A solução que a SVA Tech propõe tem grandes diferenciais, inclusive, de diminuição de custo, já que tem uma capacidade preventiva que permite antecipação à eventos de risco e consequente redução de perdas e danos, além da tomada de decisão automática e assertiva, baseada em parâmetros pré-definidos pelo usuário”.

Para o CEO da SVA Tech, Roberto Márcio Arruda Fernandino, a grande inovação da empresa se mostra principalmente pelo processo em tempo real, ou seja, os vídeos ao vivo das imagens no próprio equipamento. “Os produtos existentes no mercado demandam servidores robustos com ambiente de instalação controlado, o que onera os projetos. No caso da SVA Tech, o sistema de visão computacional está integrado ao equipamento de tamanho reduzido e pode ser instalado de forma simples até em ambientes abertos, como caixas externas e postes. Além disso, os algoritmos utilizados garantem melhor eficiência e assertividade das detecções”.

Outro destaque é a capacidade da empresa de atuar não apenas na segurança eletrônica, como também na operação dos clientes – controle de fluxo, análises de comportamento, tempo de atendimento, leitura de placas, entre outros. Entre os exemplos de atuação, o CEO cita o monitoramento da Mina Gongo Soco, localizada em Barão de Cocais, cujo o sistema acompanha todo o entorno da mina com gestão de alarmes toda vez que uma pessoa acessa o local ou cruza uma faixa virtual das oficinas, almoxarifado e áreas de entorno do complexo minerador.

Um outro exemplo da versatilidade da empresa é sua atuação no segmento do varejo, em algumas redes de supermercados. “Coletamos dados de comportamento de consumo, gerando dados de quantidade de pessoas em cada corredor/gondola, além do tempo de permanência de cada pessoa em cada local”, explica.

Em Minas Gerais os cotistas do Fundo são o BDMG e a FAPEMIG

“Fazer parte do grupo de cotistas do Criatec 3 está em linha com a estratégia do BDMG para os próximos anos. Um dos nossos objetivos é tornar o Banco referência em inovação no Estado, estimulando a geração de conhecimento e a modernização da estrutura produtiva”, Marco Aurélio Crocco Afonso, presidente do BDMG.

“Interessa à FAPEMIG que os conhecimentos e as tecnologias fruto dos projetos de pesquisa financiados por ela sejam prontamente transferidos para empresas e sociedade em geral, contribuindo para a solução dos muitos desafios e problemas que afetam a qualidade de vida a nossa gente. Daí a importância do ambiente de Minas ter mais e mais possibilidades de investimento inicial (semente, anjo ou venture capital) para estas empresas. Com isto elas podem inclusive se fixarem em território mineiro, gerando empregos e riquezas. Por isto, a FAPEMIG investe em fundos de investimento comprometidos em atender pedidos de empresas iniciais mineiras. E o Criatec já se mostrou capaz de fazer isto, adotando estratégias de gestão e metodologias adequadas à nossa realidade. Com o aval do BNDES e a gestão da Inseed, esta versão três do Criatec (Criatec 3) tem tudo para dar muito certo!” Prof Evaldo Vilela, presidente da Fapemig.

Procura-se empresas inovadoras

Você tem uma empresa inovadora, em estágio inicial, e elevado potencial de crescimento? Estaria disposto a ter um sócio investidor com quem possa compartilhar decisões e que agregue não apenas capital, mas também estratégia, governança e gestão? Podem participar do Criatec 3 empresas estabelecidas no Brasil que desenvolvam tecnologias inovadoras e que tenham alto potencial de crescimento. Segundo Alexandre Alves, diretor da Inseed Investimentos, essas tecnologias devem oferecer forte barreira que impeça ou dificulte sua reprodução por outros players. Devem ser ainda escaláveis e a solução ou produto apresentados deve resolver um problema de mercado muito relevante. “O Criatec 3 é uma oportunidade real em meio à crise econômica que o país está enfrentando.

Por isso, é uma excelente opção não só para quem está disposto a ter um sócio investidor que agregue capital, mas também que some em termos de estratégia, governança e gestão”. O diretor ressalta ainda que são procuradas micro e pequenas empresas com faturamento líquido de até R$ 12 milhões, no ano anterior ao investimento. “O Criatec 3 tem como diretriz investir nos seguintes setores: Tecnologia da Informação e da Comunicação, Biotecnologia, Agronegócio, Novos Materiais e Nanotecnologia”, destaca Alexandre, lembrando que são setores prioritários, mas sem excluir outras áreas.

Mais informações e inscrições aqui.

O post Fundo Criatec 3 anuncia aporte de R$4,5 milhões em empresa especializada no desenvolvimento de soluções inteligentes de vídeo analítico apareceu primeiro em Startupi.

Powered by WPeMatico